HÉRNIA DE DISCO

 

A coluna vertebral é composta por vértebras. Por dentro dessas vértebras existe um canal por onde passa a medula espinhal e as raízes nervosas que emergem e se ramificam. Entre essas vértebras estão localizados os discos intervertebrais que tem a função de amortecer os impactos e evitar o atrito entre uma vértebra e a outra.  

Esses discos são estruturas cilíndricas formadas por um anel (ânulo fibroso) na parte mais externa e uma porção mais gelatinosa (núcleo pulposo) no seu interior.  Quando ocorre uma fissura nesse anel, a porção mais gelatinosa sai da sua posição e consequentemente comprime alguma raiz nervosa adjacente e em casos mais graves, pode migrar para o canal medular.

Quando isso ocorre em pequena proporção chamamos de protusão discal e, quando essa lesão no anel fibroso é grande ao ponto de quando o núcleo pulposo migra para o meio externo achatar-se, diminuindo de tamanho, chamamos de hérnia de disco.

A fuga do núcleo pode ser anterior (mais raro) ou posterior (mais comum).
Acomete mais as regiões  cervical e lombar pois são as áreas que mais suportam cargas e que estão mais expostas ao movimento. 

 

PRINCIPAIS SINTOMAS :

  • Dor na região lombar e cervical - Pode piorar quando permanece por períodos prolongados na mesma posição. A dor pode irradiar para membros inferiores quando acomete hérnias lombares, ou pode irradiar para cabeça e membros superiores quando acomete hérnias cervicais;

  • Formigamento ou dormência nos membros;

  • Dificuldade de controlar os esfíncteres podendo haver até escape de urina;

  • Dificuldade de se locomover ou carregar objetos;

  • Redução de força;

  • Dificuldade para realizar movimentos.

 

PRINCIPAIS  CAUSAS:

  • Predisposição genética;

  • Sedentarismo;

  • Processo natural de envelhecimento - Estudos recentes demonstram que a partir dos 25 anos as fibras do anel fibroso já começam a se degenerar.

  • Desequilíbrios musculares, má postura, obesidade, hábitos de carregar muito peso, esforço físico inadequado, atividades de alto impacto e competitivas, que envolvam movimentos bruscos, aumentam o risco de desenvolver hérnias de disco.

TRATAMENTO:
Atualmente o tratamento consiste no uso de analgésicos, antiinflamatórios, repouso (em alguns casos e em fase aguda), sessões de fisioterapia, acupuntura, RPG e PILATES. 

Cada vez mais os ortopedistas estão indicando o PILATES, que trabalha:

  • Consciência corporal;

  • Alongamento da musculatura envolvida;

  • Realinhamento da postura;

  • Alongamento axial (que tem por objetivo tracionar as vértebras, aumentar o espaço entre elas e descomprimir os discos);

  • Mobilização articular (que promove a hidratação dos discos interverterias e melhora amplitude articular);

  • Fortalecimento da musculatura estabilizadora (mais conhecida como powerhouse, que é composta pelos músculos: paravertebrais, multifidos, oblíquos, transverso abdominal, psoas e músculos do assoalho pélvico).

Na grande maioria dos casos os sintomas melhoram e a resposta é satisfatória. O praticante consegue aliviar a dor, ganhar qualidade de vida e retomar a pratica das suas atividades diárias.

Hoje em dia a cirurgia somente é indicada quando o paciente apresenta alguma disfunção neurológica grave como perda de força progressiva ou quando não há melhora com o tratamento conservador. 

 

PILATES PARA BAILARINOS

MUITOS NÃO SABEM MAS FORAM OS BAILARINOS OS PRIMEIROS A 
EXPERIMENTAREM ESSA TÉCNICA CRIADA EM 1920 POR JOSEPH PILATES.

Em 1926, foi aberto, por Joseph Pilates, o primeiro estúdio de pilates próximo ao New York City Ballet e, desde então, a técnica vem sido aprimorada e adaptada para atender os bailarinos com a finalidade de melhorar a performance e prevenir lesões.

Durante 1 hora de aula, são trabalhados a postura, a consciência corporal, a flexibilidade, a elasticidade, o ganho de força e amplitude articular, a coordenação motora, a lateralidade, a concentração, o equilíbrio, a propriocepção e o fortalecimento muscular e articular - especialmente dos quadris, joelhos, panturrilhas, pés e tornozelos, que são muito exigidos no ballet.

O trabalho de alongamento é fundamental para ganho de amplitude articular e amplitude de movimento. No caso dos bailarinos, vai ajudar por exemplo, a melhorar a rotação externa de quadril, a ter mais amplitude para fazer um Cambré e um Grand Battement.

Já o trabalho de fortalecimento muscular e ganho de força são fundamentais para ter resistência e executar melhor os movimentos de sustentação de pernas, Port de bras, impulsão, saltos, entre outros.

Os treinos feitos em cima de superfícies instáveis são excelentes para melhorar a propriocepção e o equilíbrio, promovendo o fortalecimento dos pés e tornozelos - essencial para quem dança tanto na ponta quanto na meia-ponta - evita lesões e entorses e ajuda na execução de giros e piruetas.

Os movimentos executados de forma controlada, combinados com a respiração que é feita no pilates trabalham a concentração e a memória. 

Esses e tantos outros benefícios fazem do pilates a escolha ideal para os bailarinos que desejam melhorar a performance e, ao mesmo tempo, prevenir lesões. 

Você, bailarino que ainda não conhece o Pilates, sinta-se a vontade em nos contactar para obter mais informações ou para fazer uma aula experimental inteiramente gratuita.

 

 

 

 

 

COMO ESCOLHER O MELHOR

ESTÚDIO DE PILATES?

SE VOCÊ ESTÁ A PROCURA DE UM ESTÚDIO DE PILATES VOCÊ JÁ DEVE TER FEITO ESSA PERGUNTA. SENDO ASSIM COMO ESCOLHER O MELHOR ESTÚDIO PARA FAZER PILATES? 

Se você pensou que o valor das aulas é o único fator decisivo você está errado! 

Existem fatores muito mais importantes que devem ser observados para garantir a sua saúde, afinal de contas quando se trata de saúde todo cuidado é pouco!

Primeiro leve em consideração a localização do estúdio. Se ele é de fácil acesso, se possui estacionamento próprio ou próximo ao local pois assim diminuem as chances de você faltar por culpa da distancia e do deslocamento.

A formação e a experiência do instrutor são extremamente importantes. Observe se o instrutor é cauteloso e atento aos seus movimentos. Se ele está constantemente se atualizando e se reciclando ao método. Se além dele ser graduado o mesmo possui formação em curso de pilates reconhecido pela Associação Brasileira de Pilates ou Associação Brasileira de Pilates Fisioterapêutico. 

O tempo de funcionamento do estúdio também deve ser observado e acima de tudo obtenha boas indicações e referências de alunos e ex alunos.

Qual o tamanho do estúdio? É necessário um estúdio espaçoso?  A resposta é necessariamente não.  

O mais importante é que o estúdio seja bem equipado e tenha um bom aproveitamento do espaço. Observe a altura do pé direito, e se o mesmo possibilita altura necessária para exercícios aéreos e suspensos como por exemplo no Cadillac. 

Observe se há espaço suficiente entre os aparelhos e se os mesmos tem a possibilidade de deslocamento, pois isso promove a diversidade e variedade dos exercícios. 

Que técnicas o estúdio dispõe? O método pilates é riquíssimo e com o passar dos anos foram surgindo novas modalidades e técnicas para atender todos os tipos de público: de crianças até pessoas em recuperação cirúrgica, gestantes, idosos e cardiopatas.

Quantos aparelhos e que aparelhos o estúdio possui? 

O ideal é que tenha pelo menos um Cadillac, Reformer e Chair. O Lader barrel é um bom aparelho porém é o que possui menos variedades de exercícios. Por muitas vezes ele pode ser substituído e adaptado por acessórios acoplados no Reformer ou na Chair. 

Leve em consideração se os aparelhos são de marcas confiáveis e se o estúdio dispõe de acessórios variados como por exemplo: bolas de tamanhos e formatos diferentes, faixas elásticas com intensidades diferentes, halteres e caneleiras com cargas variadas, flex ring, bosu, discos de equilíbrio, rolos e etc. 

Quanto mais acessórios o estúdio possuir maior será a variedade de exercícios.

O estúdio é confortável? Limpo, organizado, seguro e bem arejado? Os aparelhos passam por manutenção periódica? Tudo isso é extremamente importante e deve ser levado em consideração.

Observe o quanto o instrutor se interessa por você. Um bom instrutor está atento aos seus objetivos, a sua rotina e ao seu histórico familiar, pois é baseado nessas informações que ele irá direcionar a sua aula. 

Se o seu objetivo é se recuperar de uma lesão, por exemplo, então é fundamental que o seu instrutor seja um fisioterapeuta.

Antes de efetuar a matrícula tire todas as suas dúvidas. Pergunte a respeito do funcionamento do estúdio, política de reposição das aulas, horário de funcionamento e etc.

E por último mas não menos importante: experimente!  A aula experimental é fundamental para você conhecer o espaço e avaliar o profissional e a dinâmica da aula.

 
Encontre-nos

Av. Dom Hélder Câmara, N° 5.200 Sala 1018 
Torre Comercial Norte Shopping 
Tel: 21
3586-4050 
 

  • facebook-square
  • Twitter Square
  • google-plus-square
  • face
  • insta

Siganos nas Redes Sociais!

ESTACIONAMENTO

ROTATIVO